– 5 das mais absurdas leis sobre sexo da história

 

A história está cheia de exemplos de autoridades governamentais e religiosas que movem montanhas para regular a vida sexual das pessoas. Naturalmente, estes esforços continuam no mundo moderno – no entanto, o sexo hoje não é regulamentado da mesma forma como era no passado, pelo menos no mundo ocidental.

Pelos padrões de hoje, muitas das leis mais velhas e suas correspondentes punições parecem francamente absurdas. Abaixo estão cinco exemplos retirados do livro, Sex and Punishment: Four Thousand Years of Judging Desire de Eric Berkowitz.

Cinco leis sobre sexo absurdas

5. “Na antiga Grécia e Roma, os maridos de mulheres adúlteras tinham várias opções para a vingança. A maior parte das punições permitia à um marido envergonhar seu rival através da inserção de objetos estranhos, como peixe e rabanetes, em seu ânus“.

4. Em 1800, os ingleses passaram a usar o Ato de Doenças Contagiosas, cujo resultado foi que “as mulheres poderiam ser forçadas a ser submetidos a inspeções e tratamentos sob suspeitas de serem prostitutas cruéis. Se as mulheres se recusassem, estariam sujeitas à prisão.”

3. A lei francesa a partir do ano 1270 sobre a proibição da homossexualidade diz: “Aquele que tem sido provado ser um sodomita deve perder seus testículos. E se ele faz isso uma segunda vez, ele perde seu membro. E se ele faz isso uma terceira vez, ele deve ser queimado. Uma mulher que faz isso deve perder um membro de cada vez, e na terceira deve ser queimada “.

2. “Ao longo da Idade Média e do Renascimento, o judeu foi considerado um agente de Satanás, um desviante sexual … Sexo com judeus era quase sempre fortemente restringido e poderia ser punido com a morte.”

1. Lei hetéia da Idade do Bronze diz: “Se um homem apreende uma mulher nas montanhas (e estupra), é ofensa do homem, mas se ele agarrá-la em sua casa, é ofensa da mulher: a mulher morrerá. Se o marido da mulher descobri-los no ato, ele pode matá-los sem cometer um crime. “

Fonte: Sex & Psychology
Psicoativo